Data da publicação: 03/10/2017

Mudanças são fruto de estudos técnicos e irão permitir que cidadão passe mais tempo no que de fato lhe interessa

A Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), dá início ainda no mês de outubro à primeira fase da reestruturação do sistema de transporte de Salvador. O objetivo é facilitar a vida de quem utiliza ônibus ou metrô dentro da capital baiana, com redução dos tempos de deslocamento, maior oferta de linhas nos bairros periféricos e comodidade aos usuários, que poderão utilizar os modais de transporte de forma integrada e eficiente, como acontece nas grandes metrópoles do mundo inteiro. Isso só é possível graças a muita pesquisa e estudos técnicos detalhados feitos pela equipe da Semob e a interação com os usuários, que se queixam principalmente do tempo que perdem para se deslocar de um lugar para outro na cidade via ônibus, bem como da lotação em horários de pico.

A Semob já realizou consultas em todas as regiões da cidade ouvindo a população sobre as mudanças. Agora, novas reuniões acontecem, a partir desta semana, para informar aos usuários sobre os detalhes da reestruturação. No total, serão 15 reuniões. Além disso, a Prefeitura já deu início a uma ampla campanha de divulgação em massa orientando sobre as mudanças. "Claro que no início teremos um período de adaptação, mas nossa expectativa é que os impactos positivos dessa reestruturação sejam sentidos logo pela população", afirma o titular da Semob, Fábio Mota.

As regiões que passarão por mudança nessa primeira fase da reestruturação são Alto do Peru, Fazenda Grande do Retiro, Capelinha, Bom Juá, Pau Miúdo, IAPI, Santa Mônica, Conjunto Marback, Stiep/Centro de Convenções, Vale do Matatu, Cabula, Pernambués, Saboeiro, São Gonçalo do Retiro, Nossa Senhora do Resgate, Conjunto ACM/Arraial do Retiro, Engomadeira, Arenoso, Tancredo Neves, Mata Escura/Jardim Santo Inácio, Sussuarana/Nova Sussuarana/Novo Horizonte. Ao todo, serão quatro fases de reestruturação, e a expectativa é que todas as mudanças sejam implantadas paulatinamente até fevereiro do ano que vem. Os estudos técnicos preveem, em todos os casos, diminuição no tempo de viagem, oferecendo um sistema de transporte público integrado com mais conforto e celeridade, exigindo apenas um período de adaptação por parte dos usuários.

Já nesta primeira fase, a estação de ônibus do Acesso Norte passará a funcionar como transbordo – o que significa que várias linhas de bairro sairão com destino a esse equipamento, e vice-versa. Ou seja, nos mesmos moldes da Lapa ou de Pirajá. Atualmente, essa estação funciona apenas para parada pontual de algumas linhas. As linhas distribuidoras para esta fase serão Acesso Norte-Barroquinha (com frota de dez veículos e intervalo de cinco minutos) e Acesso Norte-São Joaquim/Comércio (com frota de seis veículos e intervalo de 15 minutos). Essas linhas darão cobertura aos destinos Sete Portas, Barroquinha, San Martin, Calçada, São Joaquim e Comércio. Bairros como Conjunto Marback, Vale do Matatu, Sussuarana e Nova Sussuarana, Mata Escura, Jardim Santo Inácio e Tancredo Neves leverão passageiros até a estação Acesso Norte.

No Alto do Peru, por exemplo, o atendimento do sistema de transporte passa de um intervalo de 70 para 22 minutos. E se antes o sistema da região previa 10 viagens por dia, com as alterações serão 30. Será mantido o atendimento para Sete Portas/Barroquinha com a linha que será criada na estação Acesso Norte para a Barroquinha. Haverá, ainda, novos atendimentos: Lapa, que permitirá acesso à estação Pirajá, através da linha 1 do metrô, e às estações Iguatemi, Paralela, CAB e Mussurunga, através da linha 2 do metrô; San Martin/Calçada/São Joaquim/Comércio, com linha que será criada na estação Acesso Norte para S. Joaquim/Comércio; e região do Cabula, através das linhas de ônibus da estação Acesso Norte.

As mudanças também serão significativas para quem utiliza transporte público nas regiões de Sussuarana, Nova Sussuarana e Novo Horizonte. As linhas Sussuarana-Barroquinha e Novo Horizonte-Barroquinha serão substituídas pela Novo Horizonte/Sussuarana-Acesso Norte. Com isso, o atendimento do bairro passa de um intervalo médio de 85 para 20 minutos, e sai de 26 para 33 viagens por dia. Quem sair dessas regiões em direção a Sete Portas/Barroquinha deverá ir até a estação Acesso Norte e realizar a integração. Isso permitirá ainda acesso às demais estações do metrô.

O secretário Fábio Mota avalia que as mudanças que serão implementadas resolvem problemas históricos do sistema de transporte público de Salvador. “Nosso objetivo, com isso, é enfrentar problemas crônicos como a superlotação dos ônibus, viagens longas e espera nos pontos, o que dificultava a vida dos usuários de transporte público em Salvador. Estamos, portanto, enfrentando todos esses problemas no sentido de resolvê-los para melhorar a qualidade do serviço prestado e ampliar a quantidade de viagens realizadas pela população”, afirma o gestor.

Bilhete Único – O Bilhete Único ou o Metropasse são as formas válidas para que o passageiro participe da integração, que é o que garante que a viagem foi realizada num período máximo de três horas. No caso do Bilhete Único, válido nos ônibus urbanos, estão incluídos os cartões Bilhete Avulso, Vale Transporte e Meia Passagem Estudantil do Salvador Card. Hoje, Salvador dispõe de 600 mil cartões ativos, ou seja, que foram utilizados ou carregados pelo menos uma vez nos últimos seis meses. O Bilhete Avulso, que é aquele que qualquer cidadão pode obter, é gratuito e pode ser adquirido em mais de 170 postos espalhados pela cidade. 

Avanços – Desde 2013, uma série de ações promovidas pela Prefeitura tem facilitado cada vez mais a mobilidade da população, refletindo na qualidade de vida dos cidadãos. A primeira delas foi a implantação do programa Domingo é Meia, que permite ao passageiro pagar apenas metade da tarifa de ônibus aos domingos. Foi implantado o Bilhete Único, que possibilitou o pagamento de apenas uma tarifa para dois transportes – metrô e/ou ônibus. Além disso, foi promovida a renovação e modernização da frota, com 1.200 ônibus novos e instalação de GPS e câmeras de segurança nos veículos, que passam a ter idade média de quatro anos.

Também foram implantados o Centro de Controle Operacional (CCO), com monitoramento dos ônibus em tempo real; o aplicativo CittaMobi, que informa aos usuários o horário das linhas instantaneamente; e o serviço Conect Bus, executivo que percorre as principais vias da cidade com disponibilização de serviços como ar-condicionado e Wi-Fi. E depois de anos em situação precária, a Estação da Lapa foi completamente requalificada após processo de Parceria Público-Privada (PPP), com investimento de mais de R$20 milhões. Está inclusa ainda, na lista de melhorias, a instalação de mais de 800 abrigos em pontos de ônibus. 

Isso sem falar na integração plena dos ônibus urbanos com o metrô, que foi mais uma realização da Prefeitura e permitiu o entendimento com o governo do Estado. Graças a esse entendimento, desde domingo passado os ônibus metropolitanos também estão integrados tanto ao metrô quanto às linhas urbanas.