Data da publicação: 18/12/2017

 

Secretários municipais, representantes de associações ligadas à mobilidade, meio ambiente, desenvolvimento sustentável e da sociedade civil, discutiram na manhã desta segunda-feira (18), em audiência pública realizada no auditório do Ministério Público, em Nazaré, o Plano de Modalidade Urbana Sustentável de Salvador (PlanMob Salvador), sob a coordenação da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob).

Na audiência pública, foram apresentados os resultados obtidos ao longo do processo para a implantação das próximas intervenções viárias na cidade para os próximos 32 anos, a partir do prognóstico explicitado em dois workshops e nas dez oficinas participativas sobre o PlanMob Salvador, que foram realizadas nas sedes das Prefeituras-Bairro, ao longo do mês de setembro.

Entre as ações já em curso ou planejadas, destacam-se a concessão do Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus (STCO) e a reestruturação das linhas visando a integração com o metrô, recém-implantado na cidade, além da realização do BRT Lapa-Iguatemi. Tudo embasado no novo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) e na Lei de Ordenamento do Uso e da Ocupação do Solo (Louos).

O secretário de Mobilidade, Fábio Mota, destacou que o objetivo principal do PlanMob é preparar a cidade para os próximos anos, entendendo a necessidade da ampla participação popular. “O PlanMob tem a importância de planejar a cidade até 2049 (ano que Salvador completa 500 anos), estabelecendo ações que facilitarão a vida das pessoas”, explicou.

PlanMob Salvador – O Planob será instrumento para políticas públicas do setor de mobilidade, com o objetivo de contemplar propostas específicas no que diz respeito à mobilidade urbana, tratando de aspectos de micro e macro acessibilidade, envolvendo questões associadas a pedestres, ciclistas, circulação viária, segurança viária, transporte coletivo, interação entre uso de solo e transportes e organização institucional do setor.

Podem ser destacadas como contribuições do PlanMob Salvador a atualização da base dados da mobilidade; a consolidação do acervo de planos, estudos e projetos existentes de 1975 a 2017, na área de transportes da cidade e Região Metropolitana de Salvador; a proposta de rede única multimodal e integrada de transporte através da integração dos diversos modais rodoviários, ferroviários, hidroviários, não-motorizados e verticais da cidade numa rede única.